O que é o
Cooperativismo?


Cooperar significa somar esforço e trabalho para atingir um mesmo fim. A cooperação é uma prática ancestral da humanidade em prol de sua própria sobrevivência ou de uma comunidade, uma civilização, um país ou, ainda, uma classe social ou profissional.


Cooperativismo no mundo moderno

No mundo moderno ocidental, o conceito de cooperativismo ganhou identidade. A versão contemporânea é resultado do movimento operário e de seus princípios ideológicos. Foi construído a partir da Revolução Industrial, nos séculos 18 e 19, e marcado por um grande progresso econômico e tecnológico.

No século XXI, com o surgimento de novas tecnologias e o acesso às informações tornou-se ao alcance de um maior número de pessoas, houve uma revolução no mundo do trabalho e cada vez é maior a exigência sobre o conhecimento e especialização. Porém há um crescente impacto sobre a remuneração e a valorização profissional, quando deveria acontecer o oposto.

Governança Cooperativa

A cooperativa reúne um grupo seleto de profissionais, certificados, com vasta experiência, engajados no mundo do trabalho há muitos anos e preparados para enfrentar os desafios que o modelo produtivo exige. Através da cooperativa, o trabalho coletivo, cooperativo, assumindo responsabilidades em grupo, será o grande diferencial.

Mantendo o foco no cliente, nos prazos, na qualidade de entrega dos serviços, na perenidade da cooperativa. Com ênfase na competitividade, custos acessíveis; valorização profissional com dignidade e dinâmica na gestão, com liberdade.

Investir sempre na atualização profissional, na melhoria contínua e praticar os serviços de forma humana, próxima, cooperativa e especialista.

A UNITA acredita na sinergia, na singularidade, na interdependência e na união, ampliando seu papel no mundo por meio do comprometimento com as transformações sociais.

O associado quando adere à Cooperativa, sabe que sua participação; seu vínculo não se resume a um contato puramente de compra e venda (comercialização). Ele é sócio, é dono, é usuário. Não é um mero cliente.

Relatórios

No cenário mundial atual, em que, progressivamente, as pessoas, a sociedade e as empresas estão atentas à importância do crescimento e da evolução por meio do desenvolvimento sustentável, o sucesso das organizações depende de uma nova forma de pensar e de um novo modo de gerir, uma vez que os resultados econômicos estão cada vez mais atrelados aos impactos socioambientais causados por suas decisões e ações.

Entretanto, ser sustentável não significa apenas ter iniciativas em prol do meio ambiente, ou ter um forte investimento social. Significa também, e, principalmente, ter a sustentabilidade na Responsabilidade Social e Ambiental.

A Cooperativa é uma sociedade de PESSOAS e, como tal, é, essencialmente, um instrumento para o desenvolvimento econômico e social. Sua atuação privilegia as ações de interesse coletivo, em que as relações sociais entre os seus membros são a mola propulsora do desenvolvimento econômico. O desenvolvimento integral do homem é o objetivo final da existência da Cooperativa.

As PESSOAS, e não o Capital, são os atores principais do negócio cooperativo.

Relatórios

No cenário mundial atual, em que, progressivamente, as pessoas, a sociedade e as empresas estão atentas à importância do crescimento e da evolução por meio do desenvolvimento sustentável, o sucesso das organizações depende de uma nova forma de pensar e de um novo modo de gerir, uma vez que os resultados econômicos estão cada vez mais atrelados aos impactos socioambientais causados por suas decisões e ações.

Entretanto, ser sustentável não significa apenas ter iniciativas em prol do meio ambiente, ou ter um forte investimento social. Significa também, e, principalmente, ter a sustentabilidade na Responsabilidade Social e Ambiental.

A Cooperativa é uma sociedade de PESSOAS e, como tal, é, essencialmente, um instrumento para o desenvolvimento econômico e social. Sua atuação privilegia as ações de interesse coletivo, em que as relações sociais entre os seus membros são a mola propulsora do desenvolvimento econômico. O desenvolvimento integral do homem é o objetivo final da existência da Cooperativa.

As PESSOAS, e não o Capital, são os atores principais do negócio cooperativo.

A Doutrina Cooperativista fundamenta-se nos seguintes pilares:

Solidariedade
cuja essência reside no compromisso, na responsabilidade que todos têm com todos, fazendo a força do conjunto e assegurando o bem de cada um dos membros. É uma espécie de reciprocidade obrigacional, justificada pelo interesse comum. Ser solidário é praticar a ajuda mútua, é cooperar por definição, é tornar o empreendimento sólido.
Liberdade
que está no direito de escolha pela entidade cooperativa, tanto na hora do ingresso como no momento da saída, podendo a pessoa, enquanto cooperado, mover-se e manifestar-se de acordo com a sua vontade e consciência, respeitados os limites estabelecidos coletivamente.
Democracia
que está diretamente relacionada ao pleno direito de o associado participar da vida da Cooperativa em toda a sua dimensão, especialmente pela palavra e pelo voto, implicando, em contrapartida, respeito às decisões majoritárias. Indica também acesso universal, sem discriminação de qualquer espécie. É pela democracia que se exerce a cidadania cooperativa.
Equidade
que se manifesta, fundamentalmente, pela garantia da igualdade de direitos, pelo julgamento justo e pela imparcialidade, tanto em aspectos econômicos como sociais.
Igualdade
que impede a segregação em razão de condição socioeconômica, raça, gênero ou sexo, ideologia política, opção religiosa, idade ou de qualquer outra preferência ou característica pessoal. A todos devem ser assegurados os mesmos direitos e as mesmas obrigações.
Responsabilidade
Tem a ver com assumir compromissos e o cumprir deveres. Como cooperada, cada pessoa é responsável pela viabilidade do empreendimento, incumbindo-lhe operar com a cooperativa e participar das atividades sociais. Cada qual responde pelos seus atos, devendo conduzir-se com retidão moral e respeito às regras de convívio adotadas coletivamente.
Honestidade
Se liga à verdade por excelência. É uma das marcas de pessoas de elevado caráter. Tem a ver com retidão, probidade, honradez e dignidade.
Transparência
Diz respeito à clareza, àquilo que efetivamente é, sem ambiguidade, sem segredo. Na Selita, todos têm de ter conhecimento preciso sobre a vida da entidade: sua gestão, seus números, suas regras.
Consciência Sociambiental
reflete o compromisso da Cooperativa, que tem caráter comunitário por natureza, com o bem-estar das pessoas e com a proteção do meio ambiente compreendidos na sua área de atuação, preocupação que envolve desenvolvimento econômico e social e respeito ao equilíbrio e às limitações dos recursos naturais.

A Doutrina Cooperativista fundamenta-se nos seguintes pilares:

Solidariedade
cuja essência reside no compromisso, na responsabilidade que todos têm com todos, fazendo a força do conjunto e assegurando o bem de cada um dos membros. É uma espécie de reciprocidade obrigacional, justificada pelo interesse comum. Ser solidário é praticar a ajuda mútua, é cooperar por definição, é tornar o empreendimento sólido.
Liberdade
que está no direito de escolha pela entidade cooperativa, tanto na hora do ingresso como no momento da saída, podendo a pessoa, enquanto cooperado, mover-se e manifestar-se de acordo com a sua vontade e consciência, respeitados os limites estabelecidos coletivamente.
Democracia
que está diretamente relacionada ao pleno direito de o associado participar da vida da Cooperativa em toda a sua dimensão, especialmente pela palavra e pelo voto, implicando, em contrapartida, respeito às decisões majoritárias. Indica também acesso universal, sem discriminação de qualquer espécie. É pela democracia que se exerce a cidadania cooperativa.
Equidade
que se manifesta, fundamentalmente, pela garantia da igualdade de direitos, pelo julgamento justo e pela imparcialidade, tanto em aspectos econômicos como sociais.
Igualdade
que impede a segregação em razão de condição socioeconômica, raça, gênero ou sexo, ideologia política, opção religiosa, idade ou de qualquer outra preferência ou característica pessoal. A todos devem ser assegurados os mesmos direitos e as mesmas obrigações.
Responsabilidade
Tem a ver com assumir compromissos e o cumprir deveres. Como cooperada, cada pessoa é responsável pela viabilidade do empreendimento, incumbindo-lhe operar com a cooperativa e participar das atividades sociais. Cada qual responde pelos seus atos, devendo conduzir-se com retidão moral e respeito às regras de convívio adotadas coletivamente.
Honestidade
Se liga à verdade por excelência. É uma das marcas de pessoas de elevado caráter. Tem a ver com retidão, probidade, honradez e dignidade.
Transparência
Diz respeito à clareza, àquilo que efetivamente é, sem ambiguidade, sem segredo. Na Selita, todos têm de ter conhecimento preciso sobre a vida da entidade: sua gestão, seus números, suas regras.
Consciência Sociambiental
reflete o compromisso da Cooperativa, que tem caráter comunitário por natureza, com o bem-estar das pessoas e com a proteção do meio ambiente compreendidos na sua área de atuação, preocupação que envolve desenvolvimento econômico e social e respeito ao equilíbrio e às limitações dos recursos naturais.